O que estamos vendo em muitas igrejas evangélicas hoje em dia é deprimente. Parece que os crentes abaixaram a guarda e permitiram que entrassem nas igrejas as maiores seduções do mundo (“O mundo passa e a sua concupiscência”). A consequência não poderia ser outra: imoralidade, comércio, e apostasia. Mas, como tudo começou? O pastor e pesquisador David Cloud em seu artigo “MÚSICA GOSPEL TRAZ GRANDES MUDANÇAS PARA AS IGREJAS” cita as palavras de Gordon Sears (1922-2001) que teve um respeitável ministério musical nos Estados Unidos. Vendo o que estava acontecendo em muitas boas igrejas americanas, pouco tempo antes de sua morte em 2001 ele fez a seguinte advertência: “Quando o padrão de música é diminuído, então o padrão de vestimenta também é diminuído. Quando o padrão de vestimenta é diminuído, então o padrão de conduta também é diminuído, então o senso de valor na verdade de Deus é diminuído.”


Frank Garlock, outro músico cristão americano alertou igualmente em 2001: “Se uma igreja começa a usar música gospel consequentemente perderá todos os outros padrões.” E infelizmente é o que  tem sido visto na maioria das igrejas. Já percebeu que as canções modernas logo saem de moda... e caem no esquecimento. Em 2008, Regis Danese cantou a música do Zaqueu (como Zaqueu quero subir) com o título Faz um milagre em mim. Foi uma febre nacional! Todo mundo cantava essa música. Todo mundo mesmo, pois até em ritmo de samba foi cantada e gravada por outros grupos musicais! Em 2003 apareceu a canção Faz chover. Foi outra febre. Durante alguns poucos anos houve uma grande “inundação”; melhor, um verdadeiro “dilúvio” com essa música... Mas, a chuvarada passou, o terreno secou, e assim passaram todas as outras.
Em um site que apresentava as 10 músicas evangélicas mais cantadas neste ano, alguém escreveu esse comentário: “Eu até que gostei. Mas esperava músicas novas de 2011 e 2012. Só tem coisa do passado que ninguém mais aguenta. São bonitas, mas o povo está cansado de sempre ouvir a mesma coisa."

 

Ele se referia a músicas gravadas por cantores há 3 ou 4 anos somente, e já estão velhas! Pode isso? Isso indica que esta é uma geração sem raízes, sem tradição alguma. Até se parece com os atenienses que viviam atrás de novidades... (At. 17).
Já os hinos antigos, nunca passarão. Músicas que ensinam doutrina, levam edificação, consolo, despertamento e favorecem a conversão dos perdidos. Quantos dão testemunho das bênçãos recebidas pelos hinos. Que os atuais líderes não abaixem a guarda, antes lutem para manter o verdadeiro culto a Deus e não os prazeres da carnalidade que satisfazem o homem pecador.
         


           

Entre em contato

Praça Caixeiros Viajantes S/N - Centro
Vitória da Conquista - Bahia
Fone/Fax: (77) 3424-6596
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.