“Respondeu-lhe Jesus: O que eu faço, tu não o sabes agora; mas depois o entenderás” (João 13.7).
Para Pedro era absurdo Jesus lavar-lhe os pés. Isto era tarefa de escravos, ou de alguém que fosse inferior ao que tinha os pés lavados. Jesus era o líder, o mestre deles, como poderia lhe lavar os pés, a ele, Pedro? Ele deveria lavar os pés de Jesus! Jesus insiste; quer lhe lavar os pés.
A liderança cristã contemporânea está longe de Jesus! Há uma luta por títulos, roupas diferentes, cadeiras mais elevadas, um esforço para se chegar ao topo da hierarquia! Li há pouco tempo a zanga de um “apóstolo” que queria que os pastores “sob sua cobertura” o chamassem de “pai”. Brigou porque alguns não queriam fazê-lo. Ele tinha esse direito! De pastor a patriarca, a rota percorrida mostra como é grande o desejo de proeminência! Queda-me a impressão de que muita gente quer ter seus pés lavados, não lavar os pés de alguém! Como a igreja tem donos, mandões, acionistas majoritários, “famílias sustentáculos”, etc! Há líderes que lembram os “déspotas esclarecidos”. Deveriam ouvir Paulo: “Porque pela graça que me foi dada, digo a cada um dentre vós que não tenha de si mesmo mais alto conceito do que convém; mas que pense de si sobriamente, conforme a medida da fé que Deus, repartiu a cada um” (Rm 12.3). Este ponto é importante, mas quero pôr o foco na expressão de Jesus: “O que eu faço, tu não o sabes agora; mas depois o entenderás”. Quantas questões nos parecem sem sentido! Quantos momentos nos desnorteiam e nos levam à pergunta “Por quê?”! Não sabemos explicar. Parece tudo tão confuso, tão massacrante! Cessa a crise, e saímos lá na frente, fortalecidos, mais experientes, e entendendo que aquela foi a melhor maneira de resolver a situação. Em outras palavras: agora entendemos! Deus sabe o que faz!

Lembremos de José. Tudo dava errado para ele! Sua ingenuidade, o ódio dos irmãos, o erro do pai em manifestar predileção por ele, a calúnia da mulher, o esquecimento do preso que ele ajudou! Mas, se desse certo, teria dado errado! Tinha que dar tudo errado para no fim dar certo! José sofreu muito e deve ter questionado as razões de tudo dar errado para ele! Por fim, ele mesmo explicou: “Vós, na verdade, intentastes o mal contra mim; Deus, porém, o intentou para o bem, para fazer o que se vê neste dia, isto é, conservar muita gente com vida” (Gn 50.20). Este texto é chamado de “a teologia da providência”. Na hora ele não entendeu. Depois, sim, entendeu.

Nunca perca a fé nem jogue a toalha. Deus está fazendo alguma coisa em sua vida, enquanto você passa por crises. Parece complicado? Está doendo? Você acha que poderia ser melhor? “O que eu faço, tu não o sabes agora; mas depois o entenderás”. Deus não nos deve explicações. Ele é soberano. É onisciente. É sábio. Sabe o que faz, melhor do que qualquer um de nós. Assim, creia nisto: “Deus está fazendo algo grandioso em minha vida, e agora eu não consigo enxergar. Depois entenderei”. Pode ser que ele o deixe enfermo, ou desempregado, ou permita uma enorme crise em sua vida. Agora você não entende. Mas depois entenderá. E verá que Deus sempre sabe o que faz.      

Entre em contato

Praça Caixeiros Viajantes S/N - Centro
Vitória da Conquista - Bahia
Fone/Fax: (77) 3424-6596
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.